Abertura   Editorial   Colunistas   Contato  
 
     
 
 
   
  PSICANALISTA
POLÍTICO
  BOATOS E
FAKE NEWS
  RESENHAS
LITERÁRIAS
  FUTEBOL
DE VÁRZEA
  OPINIÃO DOS
PARCEIROS
  DIVULGAÇÃO
CIENTÍFICA
 
 
 

 

Blog Boatos e Fake News
por Danielle Alvarenga


Danielle Alvarenga cursa o segundo período de Jornalismo na Universidade Federal Fluminense.






Médicos cubanos não tinham diploma?
Por: Danielle Alvarenga em 05/12/2018

As fake news que ainda circulam o governo de Jair Bolsonaro.

Após a denúncia de Caixa 2 na campanha eleitoral de Jair Bolsonaro e as vitórias nas eleições, a pergunta que agora paira sobre os cidadãos é: afinal, chegou ao fim a política de produzir fake news para manipular a população? A resposta, já esperada, é não. A estratégia utilizada pelo novo presidente parece ainda se manter, mas agora para outros fins. Dessa forma, nossas redes sociais ainda são e serão entupidas de notícias falsas e manipuladas, porém dessa vez para promover um governo que já causa grande polêmica sem nem ter realmente iniciado.

Nesta semana, Cuba retirou seus médicos do programa Mais Médicos com o Brasil por causa de comentários negativos de Jair Bolsonaro. Em pouco tempo, surgiram diversas fake news para justificar a gafe do futuro presidente. A mais alarmante entre elas foi a que afirmava que os médicos cubanos não possuíam diplomas e eram apenas feldsher, ou seja, possuem graduação de apenas 4 anos. Essa notícia que circula pela internet é completamente falsa, podendo ser comprovada ao olhar a grade do curso de medicina em Cuba, que possuem seis anos de formação, como na universidade principal do país: La Universidad de Habana. Assim como o país cubano, a profissão no Brasil exige o mesmo tempo de estudo nas universidades.

Essa notícia foi produzida por um blog com opiniões contra a permanência dos profissionais na política Mais Médicos brasileira. Não existem relatos sobre tal afirmação anterior a divulgada nesse blog. Essa fake news foi desmascarada por dois importantes sites: o Estadão Verifica e Boatos.org.

Os próximos quatro anos de governo prometem ser ainda mais recheados de notícias manipuladas. Portanto, os jornais terão mais que o dever de noticiar e propagar informação, mas também terão que fiscalizá-la de forma cada vez mais constante e atenta.











Post posterior
Marielle Franco e sua força política - 2018 está chegando ao fim, a morte da deputada ainda não tem solução, mas suas lutas reverberam por nossa sociedade
 
Post anterior
A síndrome do “velho gagá”




 



Psicanalista Político
Boatos e Fake News
Resenhas Literárias
Futebol de Várzea
Opinião dos Parceiros
Divulgação Científica
 

Abertura
Editorial
Colunistas
Contato