Abertura   Editorial   Colunistas   Contato  
 
     
 
 
   
  PSICANALISTA
POLÍTICO
  BOATOS E
FAKE NEWS
  RESENHAS
LITERÁRIAS
  FUTEBOL
DE VÁRZEA
  OPINIÃO DOS
PARCEIROS
  DIVULGAÇÃO
CIENTÍFICA
 
 
 

 

Blog Futebol de Várzea
por João Pedro Lima


João Pedro Lima é carioca e estudante de jornalismo na Faculdade Federal Fluminense. Busca conhecer e entender o meio político brasileiro desde os tempos de estudante do Colégio Pedro II. Apaixonado por futebol e literatura, tem as metas de cobrir algum grande time e escrever um livro. Sem político de estimação e contra o futebol moderno.






ATENAS FC: Um time de comprometimento, amor, sonhos e pouco amadorismo
Por: João Pedro Lima em 18/09/2018

Um projeto paralelo criado por um grupo de amigos em uma conversa de bar, há 3 anos, se mostra hoje como um avanço para o presente e futuro do futsal feminino do país. O Atenas Futebol Clube, formado por jovens sonhadoras que tinham pouco acesso ao futebol feminino, é hoje, um time amador carioca que disputa torneios importantes como o Campeonato Estadual de Futsal feminino.

O termo “futsal amador” é definido pelo fato de as mulheres do Atenas FC não possuírem um contrato de trabalho e não receberem salário do time. E é apenas nisso que o amador fica. Entretanto, a qualidade dos treinos, materiais utilizados, desempenho dos técnicos e, principalmente, o comprometimento com o time por parte de suas jogadoras é de nível profissional.

Por não ter patrocínio ou incentivos externos, a equipe enfrenta problemas financeiros para se sustentar. Segundo suas próprias atletas, o time se mantém através de uma pequena mensalidade estipulada pela comissão técnica, no qual os valores dos aluguéis das quadras, encomendas de uniformes, inscrições em campeonatos e até na compra de materiais de treino são divididos entre todos os seus membros. Problemas que não diminuem em nada a paixão pelo esporte e a vontade de fazer parte dessa família.

Para se entender o espírito que une esse time e a força que ele traz para vida de seus membros, é válido observar casos específicos de suas atletas. A pivô Audrey, estudante de 19 anos, relata que tenta sempre colocar o futebol nas horas vagas, mesmo que isso as vezes entre em conflito com seu pouco tempo disponível para aproveitar com a família:

“Meu principal objetivo é evoluir sempre. Esse time me transformou de tantas formas, digo como atleta e como pessoa também, com coisas que levarei para minha vida inteira. Não é só um esporte onde você aprende a chutar uma bola, mas o trabalho em equipe, o comprometimento e o sentimento de nunca desistir dos seus sonhos são coisas que você aprende em um espaço como esse e leva consigo para o resto da vida”, completa a jogadora.

Para se jogar no Atenas, além do amor ao esporte e ao time é preciso também enfrentar sacrifícios, como conta a zagueira Mafra, 20 anos, estudante de psicologia da UFRJ:

“Acho que os maiores empecilhos envolvem a falta de apoio da família e dos amigos. Eu custeio tudo que envolve a minha participação no esporte, porque foi uma escolha minha que eu sou obrigada a sustentar. Então eu pago minhas chuteiras, meu uniforme, a mensalidade, taxa de jogo/campeonato... Se por acaso eu me atraso para um treino ou um treino acaba tarde demais, fico dependendo do transporte público. Basicamente eu esbarro bastante na questão financeira...”

Ao ser perguntada o que mudou em sua vida desde a entrada no time, Mafra conclui dizendo que se tornou uma pessoa minimamente disciplinada e organizada, além de, dentro de quadra, ser obrigada frequentemente a superar questões individuais, como a dificuldade em tomar decisões ou medo de desagradar os outros; mas que ainda assim conseguiu se desenvolver no futsal, a fazendo acreditar que é capaz de dar conta dos desafios que aparecem em sua frente.

O futebol sempre foi desafiador para todos que o praticam. Porém, quando se trata do feminino, e no campo de salão, esse desafio aumenta pelos diversos obstáculos que são enfrentados diariamente por todos envolvidos nesse esporte. Um grupo onde até a comissão técnica paga um valor mensalmente para se manter se torna um projeto de vida que dá orgulho a todos que fazem parte dele e que o admiram. Sua importância na vida de seus membros é tão grande que não caberia escrever tudo em uma matéria, por isso deixo aqui meu convite: visite sua página no Facebook, converse com suas jogadoras.

Nunca foi fácil estar no futebol, mas estando nele pelo Atenas Futebol Clube é gratificante.

Facebook do Atenas FC: https://www.facebook.com/atenasfcoficial/











Post posterior
O Rugby no Brasil
 
Post anterior
Entrevista: Vitinho




 



Psicanalista Político
Boatos e Fake News
Resenhas Literárias
Futebol de Várzea
Opinião dos Parceiros
Divulgação Científica
 

Abertura
Editorial
Colunistas
Contato