Abertura   Editorial   Colunistas   Contato  
 
     
 
 
   
  PSICANALISTA
POLÍTICO
  BOATOS E
FAKE NEWS
  RESENHAS
LITERÁRIAS
  FUTEBOL
DE VÁRZEA
  OPINIÃO DOS
PARCEIROS
  DIVULGAÇÃO
CIENTÍFICA
 
 
 

 

Blog Resenhas Literárias
por Michelle Lago


Zaguehi Michelle Stephanie Lago , Marfinense da Costa Do Marfim. Cursando jornalismo, apaixonada pela música e pelo esporte.






Livro : Hibisco Roxo - Autora: Chimamanda Ngozi Adichie
Por: Michelle Lago em 14/12/2018

É mais uma vez um momento de reflexão sobre o meu Grande Continente africano ao ler o livro mais cheio de emoção que encontrei, até agora, da Chimamada Zgozi Adichie. Não consegui me conter de tristeza lendo esse livro, pois percebi que o meu povo africano tem ainda esse complexo de ser preto e diferente do povo branco.

O livro conta a historia de uma família da Nigéria, vou falar um pouco sobre a Nigéria antes de descrever quem é essa família. A Nigéria é um país que foi colonizado pelo Reino Unido e conseguiu sua independência apenas em 1960. Só que a colonização já estava enraizada muito profundamente e, até hoje, a língua oficial da Nigéria é o inglês. Uma língua que veio para abafar os dialetos locais dessa nação. Também quer dizer que muitos dos costumes locais considerados tribais foram afastados da vida cotidiana por aqueles que acreditavam que os colonizadores estavam certos e que ser civilizado significa mesmo falar inglês e fazer coisas “de brancos”.

Essa família é composta por Kambili, que tem quinze anos e mora na Nigéria, mas sua vida é muito diferente do que podemos esperar. Seu pai é um grande capitalista, dono de um jornal, uma fábrica de produtos diversos e garantiu para ela, seu irmão Jaja e sua mãe, uma vida fora daquela que as meninas da idade dela têm lá.

Eles têm uma casa própria e grande na cidade, uma casa de verão em outra cidade, motoristas, empregados e tudo aquilo que não condiz necessariamente com o que imaginamos na África para “pessoas comuns”. Na verdade, em qualquer lugar do mundo esse estilo de vida destoa um pouco do comum.

O pai de Kambili é um desses homens que se recusa a falar a língua local, o igbo, e é um católico fervoroso. Ele exige que sua família siga essas mesmas diretrizes, inscrevendo os filhos em uma das melhores escolas privadas do país onde todas as aulas são em inglês e levando-os à missa semanalmente. Compara negros e brancos dizendo que os nigerianos têm muito a aprender com o modo como os brancos fazem as coisas. A escrita de Chimamanda é muito doce. Ela escreve de uma maneira muito simples, parece que a história saiu sem esforço nenhum. Ela não passa muito tempo descrevendo nada talvez porque a pobreza é similar em qualquer lugar do mundo.

É um livro cheio de sensações diferentes que, muitas vezes, aparecem ao mesmo tempo. Raiva e compaixão são as emoções mais constantes. Hibisco Roxo é um livro que recomendo, pois é de uma literatura africana de qualidade e tem como autora uma gênia.











Post posterior
Livro: “Dragões de Éter - Caçadores de Bruxas” - Autor: Raphael Draccon
 
Post anterior
O Museu da Arte do Rio apresenta a exposição: Quem Não Luta Tá Morto - Arte Democracia Utopia




 



Psicanalista Político
Boatos e Fake News
Resenhas Literárias
Futebol de Várzea
Opinião dos Parceiros
Divulgação Científica
 

Abertura
Editorial
Colunistas
Contato