Abertura   Editorial   Colunistas   Contato  
 
     
 
 
   
  PSICANALISTA
POLÍTICO
  BOATOS E
FAKE NEWS
  RESENHAS
LITERÁRIAS
  FUTEBOL
DE VÁRZEA
  OPINIÃO DOS
PARCEIROS
  DIVULGAÇÃO
CIENTÍFICA
 
 
 

 

Blog Psicanalista Político
por Felipe Pena


Felipe Pena é jornalista, psicólogo, roteirista e professor da UFF.

Doutor em literatura pela PUC, com pós-doutorado em semiologia pela Sorbonne, é autor de 15 livros e diretor do documentário "Se essa Vila não fosse minha". Visiting Scholar na New York University.

Foi sub-reitor da Universidade Estácio de Sá entre 1999 e 2004 e comentarista do Estúdio I, na Globonews, entre 2013 e 2015.

Escreve semanalmente no Jornal Extra.






A vitória de Pirro sobre Lula
Por: Felipe Pena em 06/04/2018

Um general venceu a batalha no STF.

Não foi o general que ameaçou o país na véspera da votação, não foi o general do twitter, não foi o general da chantagem enunciada nos telejornais.

O general que venceu a batalha no STF é mais velho, fala grego e fez carreira em Epiro e na Macedônia. Estava em Brasília, mas poderia estar na batalha de Ásculo, que também foi vencida por ele, apesar das enormes baixas em seu exército. Em Ásculo, o general Pirro soltou a famosa frase: "mais uma vitória como essa e estou perdido".

Tem razão, general Pirro. Estamos perdidos. Sua vitória na batalha do STF representa muitas perdas para o Brasil, ainda que seus incautos soldados comemorem a prisão de um ex-presidente como troféu de guerra, butim, escalpo do inimigo.

Sua vitória, Pirro, é uma página rasgada da constituição, mesmo que possa ser revertida pelo próprio espinho que a rasgou, num espaço de tempo bem curto, para fazer justiça à famosa frase. Aliás, justiça se tornou palavra desbotada, sem sentido, substituída por ativismo político e fanatismo religioso.

Sua vitória, Pirro, é a vitória dos procuradores que fazem jejum em nome de Deus nos currais de um estado que deveria ser laico. É a vitória do juiz evangélico que o abraça com mesóclises, chamando-o de irmão em Cristo. É a vitória do magistrado que condena sem provas, cuja sentença não corresponde à denúncia, numa clara afronta ao código de processo penal. O mesmo magistrado que leva 22 minutos para emitir uma ordem de prisão, na ejaculação precoce de sua parcialidade.

Sua vitória, Pirro, é a derrota de todos os cidadãos, até daqueles que não percebem as consequências da quebra da ordem democrática em suas vidas. Perdemos a garantia constitucional da presunção da inocência, perdemos a isenção do judiciário e perdemos a autonomia dos três poderes, que é a base do estado de direito.

Você venceu, Pirro, mas, como diria o Darcy Ribeiro, detestaria estar ao seu lado. Sua vitória é a espuma de chuveiro da história.

Felipe Pena é jornalista, escritor e professor universitário. Foi diretor da Rede Globo e comentarista da Globonews e da TVE.









Post posterior
Os homens de bem, os puteiros e a prisão de Lula
 
Post anterior
Na UFF, disciplina sobre o golpe de 2016 terá espaço para o contraditório




 



Psicanalista Político
Boatos e Fake News
Resenhas Literárias
Futebol de Várzea
Opinião dos Parceiros
Divulgação Científica
 

Abertura
Editorial
Colunistas
Contato