Abertura   Editorial   Colunistas   Contato  
 
     
 
 
   
  PSICANALISTA
POLÍTICO
  BOATOS E
FAKE NEWS
  RESENHAS
LITERÁRIAS
  FUTEBOL
DE VÁRZEA
  OPINIÃO DOS
PARCEIROS
  DIVULGAÇÃO
CIENTÍFICA
 
 
 

 

Blog Resenhas Literárias
por Michelle Lago


Zaguehi Michelle Stephanie Lago , Marfinense da Costa Do Marfim. Cursando jornalismo, apaixonada pela música e pelo esporte.






Livro: Para Educar Crianças Feministas - Autora: Chimamanda Ngozi Adichie
Por: Michelle Lago em 09/11/2018

O livro para educar crianças feministas, aborda um sujeito muito interessante que é o sexismo. Ele fala de uma carta que a autora escreveu para a sua amiga explicando como ela pode educar sua filha na linha do feminismo.

Chimamanda, cheia de entusiasmo pela pergunta feita por sua parceira, responde de forma lúdica, que rapidamente toma a vez de um manifesto. Vendo a situação dos pais da pequena, a autora dá-se ao trabalho de explicar como escapar às armadilhas que nos define o sexismo, através dos exemplos de experiências vividas.

Depois de parabenizar a amiga pelo bebê, a escritora apresenta suas palavras, recordando alguns princípios básicos sobre o feminismo:


"Para mim, o feminismo é limitado pelo contexto, não há uma regra gravada na rocha, mas eu tenho duas ferramentas feministas que posso lhe dar como ponto de partida.

A primeira de suas ferramentas diz respeito ao postulado inicial da pessoa. Você tem que começar com sua crença mais inflexível. Qual é o seu postulado inicial? O postulado feminista deveria ser: Eu valho alguma coisa. Eu valho tanto quanto os homens. Não 'se', não 'tanto quanto', apenas 'eu valho muito'. De qualquer forma.

A segunda ferramenta é uma pergunta: "Podemos reverter uma proposta e obter os mesmos resultados?" Por exemplo, muitos acreditam que uma resposta feminista à infidelidade é romper com o marido. No entanto, acho que decidir ficar também pode ser feminista, dependendo do contexto.


Se Chudi [o pai do seu filho] dormisse com outra mulher e você o perdoasse, poderia ser o mesmo se você o traísse com outro homem?


Se a resposta for sim, então a sua escolha de perdoar pode ser feminista porque não é o resultado da desigualdade. Mas a realidade é que em muitos casamentos a resposta é "não", por causa da desigualdade entre homens e mulheres e a ideia de que os homens sempre serão homens. " Ela dá também 15 sugestões para a sua amiga, para ajudar na educação da pequena Chizalum.

É uma carta que fala pra todos nós, homens, mulheres, aos futuros pais, e à criança que mora em nós, que fica pensando a respeito da educação que ela recebeu. Todo mundo se encontra nessa linha condutora ao feminismo que Chimamanda traz, que permite acreditar na igualdade dos sexos e ao encorajamento.

Achei o livro muito bom, educativo para todos, principalmente para às mulheres. Pois, elas precisam acreditar nelas, saberem o seu valor, para que os homens possam as respeitar, e também acreditar na capacidade delas.











   
Post anterior
Livro: Os laranjais abandonados & Outras histórias - Autora: Iza Quelhas




 



Psicanalista Político
Boatos e Fake News
Resenhas Literárias
Futebol de Várzea
Opinião dos Parceiros
Divulgação Científica
 

Abertura
Editorial
Colunistas
Contato