Abertura   Editorial   Colunistas   Contato  
 
     
 
 
   
  PSICANALISTA
POLÍTICO
  BOATOS E
FAKE NEWS
  RESENHAS
LITERÁRIAS
  FUTEBOL
DE VÁRZEA
  OPINIÃO DOS
PARCEIROS
  DIVULGAÇÃO
CIENTÍFICA
 
 
 

 

Blog Resenhas Literárias
por Laís Rodrigues


Laís Rodrigues é professora e comunicóloga. Apaixonada por línguas e, principalmente, por elas permitirem a comunicação entre diversos povos. Formada em Letras: Português/Inglês e em Estudos de Mídia. Atualmente, estuda Jornalismo na Universidade Federal Fluminense, e segue desacreditada de um futuro bom para o Brasil, mas tenta não deixar de lado a esperança de mudar o mundo através da escrita.






Livro: Amor Amargo – Autora: Jennifer Brown
Por: Laís Rodrigues em 27/12/2018

“Fiquei me perguntando qual era o motivo para ela estar chorando. Não era ela que tinha perdido todas as pessoas a quem já tinha amado na vida. Não era ela que tinha perdido a mãe em um acidente de carro antes de ter idade o suficiente para pelo menos se lembrar dela. Não era o seu pai que tinha se enfiado em um buraco mental do qual nunca mais tinha saído. Não era ela que tinha tomado socos na cara do garoto que amava. Não eram seus melhores amigos que a tinham abandonado. Por que diabos estava chorando? Ela continuava tendo tudo, e eu continuava tendo nada. Exatamente como tinha sido por toda a nossa vida”.

Amor Amargo, livro da escritora norte-americana Jennifer Brown, de 2011, e publicado no Brasil pela Editora Gutenberg, em 2015, é uma lição de empatia. É fácil culpar a vítima por entrar e permanecer num relacionamento abusivo, mas é muito difícil se imaginar na situação que a vítima está, com os sentimentos confusos, e se relacionando com uma pessoa, muitas vezes, manipuladora, que não a trata mal 24 horas por dia, muito pelo contrário, sabe ser galanteadora, quando lhe convém.

Alex está no terceiro ano do Ensino Médio, e Cole não é seu marido, é apenas um menino que acaba de conhecer e se torna seu primeiro namorado. Mais um motivo para culpabilizá-la. “Essa menina aceita agressões de um namorado que acabou de conhecer. Nem é seu marido, nem tem filhos com ele”, pode-se pensar. Mas tudo fica claro quando conhecemos e analisamos a sua história de vida. Alex nunca teve afeto. Perdeu a mãe muito nova, o pai se fechou em seu próprio mundo e, após o ocorrido, não tem uma relação próxima com as irmãs. Ela tem dois amigos próximos, Bethany e Zach, mas isso não é o suficiente para fazer com que se sinta plena de carinho. Até porque a menina acaba se comparando aos dois, principalmente quanto à boa relação familiar que eles têm.

Por isso, quando Cole começa a estudar em sua escola, a atenção que lhe dá é algo inédito em sua vida. Ele se torna seu primeiro namorado e, pela primeira vez, Alex se sente amada. As agressões começam no início do relacionamento, mas como medir o que é aceitável ou não quando não se tem outro parâmetro na vida? Como desistir de um relacionamento logo no início quando nunca havia se sentido tão feliz?

Durante a leitura, as agressões evoluem, e o relacionamento chega ao fim. Alex segue com sua vida, atrás de respostas para seus questionamentos, sobretudo, no que diz respeito a sua mãe. No entanto, a lição principal que fica é a de que devemos ter empatia. Não somos capazes de entender como cada um se sente em frente a algumas situações da vida. Então, basta ter empatia e nunca, nunca culpar a vítima.











   
Post anterior
Livro: Ele está de volta - Autor: Timur Vermes




 



Psicanalista Político
Boatos e Fake News
Resenhas Literárias
Futebol de Várzea
Opinião dos Parceiros
Divulgação Científica
 

Abertura
Editorial
Colunistas
Contato